Blefaroplastia

Também conhecida como a cirurgia de pálpebra, a blefaroplastia tem o objetivo de melhorar a aparência das pálpebras superiores, inferiores, ou de ambas.

Com o envelhecimento as bolsas de gordura das regiões palpebrais superiores e inferiores, aumentam tornando-se mais evidentes. A flacidez da pele palpebral inicia a formação de rugas que dependem da textura de cada pele. Nas pálpebras superiores o excesso de pele pode ultrapassar as bordas dos cílios, interferindo na visão.

A cirurgia plástica das pálpebras corrige, não apenas os excessos de pele, gordura e flacidez do território palpebral, podendo, em certos casos, melhorar também o aspecto funcional das pálpebras.

Nas pálpebras superiores (examinadas em conjunto) observa-se, por vezes, a queda das sobrancelhas. Estas poderão ser levantadas à sua posição original no mesmo momento cirúrgico das blefaroplastias.

Sendo a pele das pálpebras de espessura muito fina, as cicatrizes tendem a ficar disfarçadas nos sulcos da pele. Para tanto, deve ser aguardado o período de maturação da cicatriz (03 meses). Pela sua localização podem ser disfarçadas com uma maquiagem leve.

A idade ideal para a cirurgia das pálpebras está relacionada ao momento em que é determinado o defeito a ser corrigido.

A maioria dos casos são operados sob anestesia local (associado ou não à sedação assistida). Raramente é feito sob anestesia geral. Quando a blefaroplastia está sendo realizada simultaneamente com outras cirurgias opta-se pela anestesia geral. O procedimento usualmente não requer internação hospitalar. A cirurgia dura em torno de 90 a 120 minutos. Dependendo dos casos alguns detalhes podem prolongar este tempo, mas é raro.

Geralmente não ocorre dor intensa no período pós-operatório, mesmo que ocorra algum incômodo ou sensibilidade maior, estes poderão ser perfeitamente abolidos com o uso de analgésicos.

Ocorre edema (inchaço) dos olhos que varia de paciente para paciente. Existem aqueles que já no 4º ou 5º dia se apresentam com um aspecto bem natural, por outro lado, outros irão atingir este resultado apenas após o 8º dia. Os 3 primeiros dias do período pós-operatório são aqueles em que existe maior edema das pálpebras. O uso de óculos escuros é útil nesta fase assim como a utilização de compressas frias para diminuir a intensidade. Os olhos não ficarão oclusos após a cirurgia, recomenda-se a aplicação de compressas frias.

É importante levar em consideração o seguinte fato: A cirurgia das pálpebras não proporciona rejuvenescimento geral à face quando realizada isoladamente. O cirurgião plástico apenas melhorará as pálpebras prejudicadas pelos defeitos estéticos já existentes. O rejuvenescimento da face implica em outros procedimentos associados à blefaroplastia. Os “pés de galinha” serão apenas amenizados e não desaparecerão mesmo que devidamente operados, pois são devidos à ação do músculo orbicular e a perda da elasticidade da pele remanescente. Recomenda-se a aplicação de Toxina Botulínica nesta região após a recuperação da blefaroplastia.

 

Cuidados pré-operatórios

Comparecer ao local da cirurgia (hospital, clínica) no horário marcado.

Comunicar qualquer anormalidade que possa lhe ocorrer quanto ao seu estado geral de saúde, até a véspera da internação.

Não fazer maquiagem no dia da internação.

Trazer óculos escuros.

 

Cuidados pós-operatórios

Não dormir de bruços, preferir dormir de barriga para cima ou de lado com travesseiro um pouco mais alto.

Aplicar gazes molhadas com soro gelado ou água filtrada sobre os olhos, nos primeiros dias.

Lavar o rosto, inclusive as pálpebras, no dia seguinte à operação. Utilizar toalha e sabonete separados para o rosto.

Repouso relativo por 2 dias.

Não dirigir nos primeiros 2 dias de pós-operatório.

Banho de corpo total somente a partir do 2º dia de pós-operatório.

Freqüentar piscina ou praia apenas após o 30º dia do período pós-operatório e proteger as cicatrizes do sol utilizando óculos escuros e protetor solar.

Atividades cotidianas liberadas, porém, devem ser evitadas atividades domésticas.

Utilizar óculos escuros quando houver exposição à luz natural ou ao vento.

Não coçar os olhos.

Fazer uso da medicação conforme prescrição médica.

Comparecer às consultas de retorno.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *